Mais de dez mil objetos apreendidos entre novembro do ano passado e este mês de abril.

24/04/2013 08:54

A Gerência de Fiscalização Integrada e Licenciamento da Regional Leste realiza diversas ações fiscais de rotina em ruas e avenidas da região com o intuito de coibir o comércio ilegal e de produtos pirateados. Na última semana, mais de dez mil objetos apreendidos entre novembro do ano passado e este mês de abril foram destruídos em um galpão no bairro Pompéia.

Após serem recolhidos e encaminhados ao local de armazenamento, é realizada uma triagem para separar os produtos. Genário Rodrigues, responsável pelo depósito, explica as etapas para o reaproveitamento de CDs e DVDs. “Todo material é separado, retirado das embalagens e devidamente agrupado, separando-se os vão para a reciclagem. Depois é feita a destruição dos produtos sem utilidade com uma máquina especial”, explica. Os plásticos, papéis e latinhas, que são recicláveis, são encaminhados para a Cooperativa Solidária de Trabalhadores e Grupos Produtivos da Região Leste (Coopersol Leste). O restante vai para o aterro sanitário.

Os alimentos perecíveis com a procedência conhecida são encaminhados para creches e asilos conveniados com a Prefeitura de Belo Horizonte. A Associação Municipal de Assistência Social (Amas) recebe os alimentos não perecíveis que eram comercializados ilegalmente. Os demais são descartados.

Os principais pontos de apreensão na região Leste são as avenidas Silviano Brandão, Mem de Sá e as ruas Conselheiro Rocha e Mármore, ambas no bairro Santa Tereza, além das ruas que ficam no entorno do estádio Independência, no Horto, em dias de jogos. As ações fiscais acontecem rotineiramente, tanto de dia, quanto no período noturno, em diversos pontos da região.