A Prefeitura de Belo Horizonte participou da 4ª edição do “Melhor Ar – Prêmio FETCEMG de Qualidade do Ar. Fonte:DOM,27/6/13

27/06/2013 11:26

A Prefeitura de Belo Horizonte participou da 4ª edição do “Melhor Ar – Prêmio FETCEMG de Qualidade do Ar”, realizado pela Federação das Empresas de Transportes de Carga do Estado de Minas Gerais (FETCEMG) e que premia iniciativas de comprometimento com o meio ambiente e a qualidade do ar. O evento, realizado na sede da FETCEMG, na Pampulha, reuniu cerca de cem pessoas. A solenidade contou com palestras da secretária executiva do Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência (CMMCE), Anna Maria Louzada, e da coordenadora de Fiscalização da Secretaria Municipal Adjunta de Fiscalização (SMAFIS), Bernadete Carvalho, que apresentaram um panorama da experiência de Belo Horizonte na construção de uma capital sustentável e a estrutura do programa Oxigênio da PBH, semelhante ao Programa Ambiental de Transporte (Despoluir), da FETCEMG.

Segundo Anna Maria Louzada, Belo Horizonte busca garantir um desenvolvimento ambientalmente sustentável e tem investido em importantes iniciativas que consideram o contexto metropolitano na qual se insere e articulam as políticas públicas setoriais. Entre as iniciativas, destaca-se a criação do CMMCE, que tem aberto espaço para os mais diferentes atores sociais, registrando suas contribuições e as discutindo nos grupos de trabalho, cujos temas são saneamento, eficiência energética e energias renováveis e construções sustentáveis. Entre as realizações concretas do CMMCE estão a elaboração das duas versões do Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa e do Plano de Redução das Emissões de Gases de Efeito Estufa (PREGEE).

Bernadete Carvalho afirmou que entre os veículos alvo do programa Oxigênio estão ônibus, caminhões, utilitários e escolares. Os carros a diesel são priorizados porque o combustível é o preferido da frota de uso intenso, que mais roda e que mais transporta peso, além de ser a frota que tem maior idade - em torno de 40% têm mais de 10 anos. As ações fiscais acontecem diariamente em corredores viários estratégicos de Belo Horizonte, além de pontos finais e estações de ônibus. Os responsáveis pelos veículos irregulares são autuados e têm 15 dias para providenciar a manutenção e comprovar a conformidade.